Introdução a Farmacologia

A farmacologia é sem dúvida umas das principais ferramentas para profissionais da área de saúde, ou em sentido mais amplo, para todos os profissionais que necessitam ou lidam diretamente e indiretamente com fármacos e medicamentos. A compreensão do modo com o qual os fármacos agem no organismo é de fundamental importância para o melhor emprego dos medicamentos.

Em sua fundamentação, a farmacologia compreende o entendimento histórico, propriedades físico-químicas, composição, bioquímica, efeitos fisiológicos, mecanismo de ação, absorção, distribuição, biltra afirmação, excreção e terapêutica, relacionados a substâncias químicas que conseguem alterar a função normal do organismo humano.

Atualmente a farmacologia é subdividida em vários ramos, essa classificação é feita com base na evolução das técnicas e métodos farmacológicos. Dentre as subdivisões, destaque maior pode ser dado para a Farmacologia Básica, Farmacodinâmica, Farmacocinética e Farmacologia Clinica.

Na farmacologia básica são estudados os conceitos gerais de ação dos fármacos, com isso, são vistos os aspectos farmacocinéticos e farmacodinâmicos básicos a todos os fármacos, o objetivo é desenvolver os conhecimentos acerca do comportamento geral de ação dos fármacos no organismo, em posse desse conhecimento a interpretação de uma resposta farmacológica fica mais facilitada, como também, o planejamento terapêutico possa ser feito de forma mais racional.

A Farmacocinética estuda a correlação do organismo com o farmaco, ou seja, em qual ponto ocorre a absorção, locais no qual o fármaco se acumula no organismo, rota de biotransformação e onde ocorre a sua excreção. A Farmacocinética é muito aplicada para determinação adequada da posologia, reajuste posológico, interpretação de resposta inesperada ou ausência de efeito, melhor compreensão da ação dos fármacos e uso racional de fármacos.

A farmacodinâmica estuda a correlação do fármaco com o organismo, quais processos fisiológicos são afetados pelos fármacos,, com isso pode-se afirmar que o foco da farmacodinâmica é: local e mecanismo de ação, relação entre concentração e magnitude do efeito, variação de efeitos e respostas. Juntamente com a Farmacocinética, a compreensão das ações dos fármacos no organismo, são fundamentais para o planejamento clinico da terapêutica.
O conhecimento da farmacologia esta alicerçado em diversos conceitos, o entendimento destes facilita o entendimento desta ciência. Como alguns conceitos básicos, pode-se citar:

  • Fármaco: substancia química capaz de provocar algum efeito terapêutico no organismo.
  • Medicamento: produto tecnicamente elaborado contendo um ou mais fármacos. Os outros componentes do medicamento recebem a denominação de excipientes, os quais podem ter as mais variadas funções, como melhorar o sabor, odor e até mesmo atuar como conservantes do mesmo; lembrando que do ponto de vista terapêutico o excipiente é inerte, não devendo também, interagir com o fármaco. Os medicamentos podem ser classificados em: magistrais, oficiais e oficinais; por sua vez, os medicamentos oficiais por sua vez podem ser classificais em: referencia, similares e genéricos.
  • Remédio: qualquer tratamento faca bem a saúde do paciente, o conceito de remédio é bem mais amplo, envolvendo ate mesmo o medicamento.
  • Dose: quantidade de fármaco capaz de provocar alterações no organismo. Esta dose pode eficaz (DE), letal (DL), ataque ou de manutenção. A DE é dose capaz de produzir o efeito terapêutico desejado, podendo ser classificada em mínima eficaz e máxima tolerada. A DL por sua vez é a dose capaz de causar mortalidade. Em ambos os casos (DE e DL) a eficácia pode ser determinada em porcentagem, portanto, DE50 é a dose eficaz em 50% dos tecidos ou pacientes.
  • Índice terapêutico: relação entre a DL50 e a DE50, pode ser um indicativo da segurança do fármaco.
  • Janela terapêutica: faixa entre a dose mínima eficaz e máxima eficaz
  • Posologia: estudo da dosagem, de como a dose deve ser empregada
  • Forma farmacêutica: forma de apresentação do medicamento: comprimidos, capsulas, xaropes..
  • Pró-droga: fármaco que necessita ser ativado no organismo para ação terapêutica.
  • Interação medicamentosa: efeito resultante da infeção entre dois fármacos, podendo como resultado final ocorrer o aumento, redução ou atenuação do efeito farmacológico de ou mais fármacos envolvidos.
  • Efeito indesejado:efeito provocado pela ação do fármaco no organismo indiferente do planejado. Pode se classificado em previsível e imprevisível. Os efeitos previsíveis podem se dividir em: toxicidade por superdosagem, efeito secundário (reação provocada pelo efeito principais do fármaco em um sítio diferente do alvo principal), efeito colateral e interações medicamentosas. Por sua vez, o efeito imprevisível pode ser dividido em: idiossincrático, alérgico e intolerância.
  1. abiude
    abril 11, 2013 às 8:39 pm

    gostei imenso da explicação

  2. Flávia
    março 11, 2014 às 11:05 pm

    Mto bom!

  3. abril 4, 2014 às 8:27 pm

    Bem produtivo..

  4. abril 4, 2014 às 8:28 pm

    Bem produtivo

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 26 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: